CloudFlare: o que é e como funciona?

CloudFlare - o que é e como funciona - Site

Você já parou para pensar como é possível que grandes sites, com um gigante volume de informações (como Google e Microsoft, por exemplo) carregam em menos de um segundo para milhões de pessoas? Isso acontece graças ao CDN (Content Delivery Network), que nada mais é do que uma rede de distribuição de conteúdo. Sua função é fazer com que as páginas de sites espalhadas mundialmente sejam carregadas rapidamente para os usuários. Isso é o CloudFlare.

A CloudFlare é uma das maiores prestadoras desse serviço e, hoje, você vai entender como esse recurso funciona e quais são os benefícios que ele pode trazer para o site da sua empresa. Além disso, você também irá aprender como configurá-lo e utilizá-lo. Vamos lá?

O que é CloudFlare?

O CloudFlare basicamente armazena o cache das páginas do seu site e, em seguida, espalha entre as centenas de servidores espalhados pelo mundo. Por isso, quando o usuário acessa o seu site e faz a solicitação desse arquivo, ele recebe o conteúdo em cache de um servidor que for mais próximo a ele, tendo, assim, uma resposta mais rápida.

O cache é formado pelos conteúdos mais acessados, páginas completas, imagens, vídeos e demais tipos de conteúdos que podem ser mantidos nessa camada de distribuição. O grande objetivo é acelerar a entrega e, também, reduzir seu consumo de processamento e banda.

O recurso é usado o tempo todo pelas grandes empresas que atendem uma imensa quantidade de usuários por dia. Com essa otimização, o conteúdo espalhado em diversos pontos do mundo será entregue mais rapidamente para cada cliente, melhorando a navegação dos clientes, reduzindo o consumo de banda do servidor, além dos gastos com manutenções.

CloudFlare esquema

Listamos, aqui, algumas dentre as muitas funções e recursos do CloudFlare:

  • Criptografia de dados e emissão de certificados SSL (HTTPS);
  • Proteção contra ataques DoS e DDoS;
  • CDN (rede de distribuição de conteúdo);
  • Firewall para aplicações web;
  • Regras customizadas de cache e redirecionamento;
  • Otimização de imagens;
  • Balanceamento de carga; HTTP/2 e SPDY.

Para que serve o CloudFlare?

Em uma ampla explicação, o sistema serve para aperfeiçoar a segurança e o desempenho de sites e aplicações. Há muitos anos, era comum que os sites entregassem seu conteúdo através de servidores de hospedagem e, na verdade, ainda hoje muitas páginas são assim. Porém, isso leva ao congestionamento no servidor, principalmente quando o mesmo site está recebendo muitos acessos simultaneamente, resultando no não carregamento da página.

Como funciona o CloudFlare?

Explicando de uma forma simples, a rede de servidores do CloudFlare funciona como uma espécie de máscara que é colocada “na frente” do servidor de hospedagem, ou seja, entre o usuário e o servidor. Desse modo, todo o tipo de requisição para o site passa pela rede do CloudFlare obrigatoriamente.

Esse sistema possibilita apenas visitas de usuários reais e bots inofensivos, ou seja, legítimos, sejam autorizadas a entrar no site. Assim, possíveis ameaças como bots malignos, ataques em massa ou tentativas de invasão deixam de prejudicar o funcionamento do servidor de hospedagem já que são bloqueadas automaticamente nos servidores da CloudFlare.

Outro fato interessante é que o acesso do visitante é recebido fisicamente mais próximo pelo servidor do usuário. Isso porque o sistema possui uma rede com 151 data centers espalhados pelo mundo.

Assim, quando recebe uma requisição, o CloudFlare já passa a fornecer o conteúdo imediatamente, caso este esteja armazenado em cache, não repassando a requisição para o servidor de origem (hospedagem). Na prática, este mecanismo representa um ganho significativo de velocidade.

Outra questão é que a requisição pode ser enviada para o servidor de origem, mesmo se o conteúdo do referido site não estiver armazenado em cache, usando uma rota da própria CloudFlare. Isso torna o processo mais rápido do que o que seria sem usar o recurso, na maioria das vezes. Quando ele ocorre desse jeito, o CloudFlare ainda armazena o recurso solicitado.

Assim, sempre que possível, as próximas requisições são entregues via cache.

Leia também: URL amigável: o que é e por que é importante

Vantagens de usar o CloudFlare

Agora que você já entendeu o que é o CloudFlare e para que ele funciona, veja a seguir quais são as principais vantagens da utilização dele no seu site:

Aumento da velocidade

A principal vantagem é, claramente, a mais perceptível pelos usuários é a velocidade de carregamento das páginas. O sistema de proxy reverso, responsável por responder às requisições dos usuários, faz o CloudFlare ser realmente muito eficiente. Combinado com sistema de cache, o recurso faz com que o ganho em desempenho seja facilmente notado durante a navegação. E, você já sabe que cada milissegundo faz toda a diferença na internet.

Aumento da segurança e proteção dos sites

A segurança e a proteção adquiridos pelos sites que fazem uso do CloudFlare são, sem dúvidas, outra grande vantagem do serviço. Isso acontece porque sua imensa rede consegue tratar o tráfego automaticamente, bloqueando tentativas de invasão e bots maliciosos que fazem a coleta de dados.

Outra questão facilitada  pelo CloudFlare é a proteção contra ataques de negação de serviço (DoS). No mesmo momento que o cliente identificar que o seu site está sob ataque, ele consegue, por meio de um clique no painel de controle, ativar a proteção .

Redução dos gastos com infraestrutura

Outro ponto que merece destaque é a redução de uso dos recursos no servidor de hospedagem que é mais um resultado do seu pacote de serviços do CloudFlare.

Esse fator é muito importante e deve ser levado sempre em consideração porque pode acabar gerando uma grande economia com infraestrutura, visto que pode postergar a necessidade de contratação de serviços adicionais e de upgrades.

Visibilidade de informações do site

Outro ponto que não podemos deixar de citar aqui também como uma vantagem é, seguramente, a visibilidade das informações de acesso ao site. O serviço possibilita a visualização de comportamentos inesperados da audiência e também permite criar regras exclusivas para contornar determinados cenários.

Agora, uma curiosidade que vale a pena ser mencionada: o CloudFlare originalmente foi criado tendo apenas o objetivo de fazer a segurança do site e a proteção contra spam.

Entretanto, o ganho de desempenho foi uma consequência muito positiva percebido pelos usuários. Assim, isso acabou sendo incorporado e desenvolvido, passando a ser parte do pacote de serviços da empresa.

Leia também: WordPress: 6 motivos para criar o seu site na plataforma

Como configurar o CloudFlare em um site?

Configurar o CloudFlare parece mais complicado do que, na verdade é. Para isso, basta acessar o site oficial da empresa  e criar uma conta (você pode começar criando uma conta grátis, testar e, caso goste, fazer a assinatura do serviço). Em seguida, você precisa configurar o DNS do seu site apontando-o para o endereço que será fornecido pelo CloudFlare.

Em muitos casos, o site já tem um plugin do cPanel, o que torna esse processo bem mais simples, pois basta ativá-lo da sua conta de hospedagem.

Sem dúvidas, a experiência e a qualidade da internet, principalmente quando nos referimos às questões de desempenho e segurança, tem sido melhorada por meio do uso da CloudFlare. Principalmente, se considerarmos que o serviço atende cerca de 8 milhões de sites no mundo inteiro.

E, como você viu aqui, se você possuir um site hospedado é possível tirar vantagem desses benefícios agora mesmo, criando uma conta gratuita.

Além disso, é muito fácil, em poucos minutos seu site já estará na maior rede de CND do mundo, presente em todas as partes do globo, podendo ser acessado por qualquer usuário e tudo isso na maior velocidade possível.

Esse fato só é possível graças à proteção contra-ataques DDoS, as otimizações aliadas aos recursos de segurança e às configurações robustas de zonas DNS Lembrando que tudo isso é feito sem qualquer tipo de instalação, apenas com uma troca de DNS.